5 Princípios de Terapia de Casal efetiva

terapia-de-casal

Seu relacionamento está em apuros?

Você deve está pensando que não há uma maneira para resolver o seu problema e que sua relação esta a beira do fim. Muitos pessoas falam sobre as baixas taxas de sucesso de casais ao fazerem terapias de casamento, em virtude deste tema que vamos falar neste artigo.

Dois psicólogos americanos publicaram em 2012 uma grande revisão de mais de 40 anos de pesquisa sobre terapia de casal e que sintetizam as abordagens dos métodos mais bem sucedidos de intervenção até hoje.

Eles resumiram toda a quantidade dessas pesquisas e as principais orientações e teóricas dentro do campo; os casais podem se beneficiar quando recebem o tratamento que segue cinco princípios básicos, Apesar de um terapeuta poder atribuir a uma abordagem comportamental e outro para uma abordagem emocional, ambos os terapeutas podem produzir uma mudança positiva e eficaz, desde que usem as estratégias similares na orientação de seus clientes.

Abordagens baseadas em evidências são a chave para a compreensão de uma terapia eficaz, quer para os indivíduos ou para casais. Isto significa que a terapia foi testada em métodos alternativos, de preferência em ensaios clínicos randomizados. Os psicólogos que oferecem tratamento baseado em evidências não se atentam a uma orientação particularmente teórica e da universidade.
 
Em vez disso, eles se adaptam a esta abordagem para garantir as melhores evidências clínicas e de pesquisa.

Agora vamos voltar para os cinco princípios básicos da terapia de casais eficaz em qualquer relação conturbada, de acordo com o renomado terapeuta americano Benson.

 💡 5 Princípios básicos da relação eficaz…

1.  Alterar os pontos de vista do relacionamento.

Ao longo do processo terapêutico, ele tenta ajudar ambos os parceiros a ver a relação de uma forma mais objetiva. Eles aprendem a parar o “jogo da culpa” e aprendem ver cada acontecimento como uma ação na vida dos dois.

Eles também podem se beneficiar e ver que seu relacionamento tem um lugar em um determinado contexto. Por exemplo, os casais que sofrem por causas financeiras estará sob diferentes tipos de tensões situacionais do que aqueles que não são. Os terapeutas iniciam este processo através da consulta de “dados” sobre a interação entre os parceiros, observando como eles interagem.

Então, formulam hipóteses sobre os fatores causais que podem estar em jogo para liderar à maneira como os casais interagem.

Como eles compartilham esta informação com o casal varia de acordo com a orientação teórica especial do terapeuta. Diferentes terapeutas usam diferentes estratégias, mas enquanto eles se concentram em alterar a forma como a relação é entendida, o casal pode começar a ver um ao outro, e suas interações, de forma mais adaptável.

2. modifica o comportamento disfuncional.

Muitos casais estão com um alto grau de distúrbio na relação que a terapia tradicional já não surte efeito, pois além das discussões outras formas de agressão já existe, e procurar terapeutas na tentativa de mudar a maneira como eles realmente se comportam uns com os outros é a solução.

Isto significa que, além de ajudá-los a melhorar suas interações, terapeutas também precisam garantir que seus clientes não estão se enganando em coisas que podem causar danos físicos, psicológicos, ou econômicos, ou seja piorar a situação em vez de ajudar.

A fim de fazer isso, terapeutas realizam uma avaliação cuidadosa para determinar se seus clientes são, de fato, um risco. Se necessário, o médico pode recomendar, por exemplo, que um dos parceiros seja encaminhado para um conselho contra violência doméstica, para um centro de tratamento contra drogas especializadas ou um psicologo para gestão de controle emocional.

3. Diminuir a evasão emocional. 

Os casais que evitam expressar seus sentimentos, privado-os tem maior risco de se tornarem emocionalmente distante e, portanto, crescerão separados. Uma Terapia de casal eficaz ajuda seus clientes a trazer para fora as emoções e pensamentos que eles temem expressar a outras pessoas.

“A terapia permite que os parceiros sintam menos medo de expressar suas necessidades de proximidade.”

De acordo com este ponto de vista, alguns parceiros que não conseguiram desenvolver  apego emocional na infância têm necessidades não satisfeitas, e eles transmitem isso em suas relações adultas. Eles temem que mostrar a seu companheiro o quanto ele é necessário em sua vida correm o risco de rejeição a longo prazo.

Terapeutas com base comportamental, assumem que os adultos podem ter medo de expressar seus sentimentos verdadeiros, porque, no passado, eles não receberam “reforço emocional necessário“.

De qualquer maneira, ambas as abordagens teóricas defendem a ajudar seus clientes a expressar seus verdadeiros sentimentos de uma forma que acabará por deixar o casal mais próximo um do outro.

4. Melhorar a comunicação. 

Ser capaz de comunicar-se é um dos fundamentos da intimidade. Todos as terapias de casal de sucesso concentram em ajudar os parceiros a se comunicarem de forma mais eficaz.

Com base nos princípios 2 e 3, a presente comunicação não deve ser abusiva, nem deve ridicularizar o parceiro quando expressam seus sentimentos verdadeiros. Os casais podem e devem exigir um “treinamento” para aprender a falar um com o outro de maneira mais compreensiva.

O terapeuta também pode fornecer ao casal uma instrução didática para saber que tipos de comunicação são eficazes e quais os tipos causam mais conflitos. Eles podem aprender a ouvir mais ativamente e com empatia, por exemplo.

No entanto, realizar esta etapa exige que os terapeutas voltem para as avaliações realizados no inicio do tratamento. Casais com uma longa história de crítica mútua pode exigir uma abordagem diferente do que aqueles que tentam evitar o conflito a todo custo.

5. Promove pontos fortes.

terapia-de-casal

Uma terapia de casal eficaz aponta os pontos fortes da relação para construir a capacidade de resistência quando a terapia se aproxima do fim.

Porque a maioria das terapias iniciam sobre áreas problemáticas, é fácil perder de vista as outras áreas em que os casais funcionam de forma correta.

O ponto para dar força a causa é ajudar o casal a obter mais prazer de seu relacionamento. O terapeuta comportamental pode orientar, “prescrever” que um parceiro faça algo que agrada ao outro. Os terapeutas de outras orientações que se concentram mais em emoções, poderia ajudar o casal a desenvolver uma “história” mais positiva ou narrativa sobre o todo.

Em ambos os casos, o terapeuta deve evitar tentar colocar sua própria rotulação sobre o que constitui uma força e deixar isso ser definido pelo casal.

Podemos ver, então, que as pessoas com relacionamentos problemáticos não precisam se desesperar, se a sua situação parece sombria e sem solução. Da mesma forma, pessoas com medo de entrar em relacionamentos sérios e a longo prazo podem se encorajar a entrar, por saber que relações de conflito podem sim ser corrigidas.

Olhando para o outro lado da moeda, estes cinco princípios da terapia de casal eficaz sugere formas que os casais podem construir e manter relações estreitas e positivas.

Tome um olhar objetivo em seu relacionamento, ao tentar conseguir ajuda para sua relação, sinta que você pode compartilhar suas emoções, comunicar de forma eficaz, e enfatizar o que está funcionando.

Mais importante ainda, lembrar que cada relacionamento tem seus desafios e pontos fortes, assim você estará dando o seu melhor na construção do mesmo.

Este artigo é uma fonte de pesquisa de entidades americanas, para mais informações sobre casais e terapia familiar citados no texto, visite a American Association of Marriage. 😉

Forte abraço e sucesso

5 Princípios de Terapia de Casal efetiva
5 (100%) 1 vote

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: